simple site templates
Mobirise

O meu cão come as fezes

A coprofagia, isto é, a condição de comer fezes, é algo que, apesar de nos repugnar, é relativamente comum no mundo canino.

Esta prática deve ser contrariada, uma vez que as fezes podem ser um veículo de transmissão de doenças e de parasitas. Mesmo que o cão seja saudável e ingira as suas próprias fezes, estas podem já ter ovos depositados por insetos, o que trará complicações gastrointestinais ao seu companheiro.
Os cães podem ingerir as suas as próprias fezes, as fezes de outros cães ou as fezes de outras espécies, e podem ser várias as causas deste comportamento. Sabemos que as mães limpam o ninho ingerindo as fezes das crias e que estas, por vezes, tendem a imitá-la. Contudo, se o seu cão (cachorro ou não) tem este comportamento, o primeiro passo deverá ser aconselhar-se junto do veterinário, uma vez que a coprofagia pode ser uma indicação de que o cão não está a obter os nutrientes de que necessita, procurando compensar-se com a ingestão de fezes.
Esta situação pode dever-se a:
  • uma ração de fraca qualidade, com baixos níveis proteicos;
  • uma ração muito calórica, que não permite uma correta digestão;
  • má digestão, que faz com que as fezes sejam semelhantes à ração que consome;
  • uma dieta muito rica em carbohidratos e fibras;
  • existência de parasitas internos;
  • outros problemas de saúde, nomeadamente infecções intestinais.
Uma vez despistada qualquer condição de saúde, podem ser vários os motivos para este comportamento.
Pode não estar a alimentar o seu cão com as quantidades necessárias e ele simplesmente tem fome. Se tiver mais cães, assegure-se de que ele consegue chegar à comida. Por outro lado, na existência de mais cães, o seu cão pode estar a ter um comportamento de submissão, ingerindo as suas fezes ou as dos outros.
Se o seu cão passa muitas horas sozinho em casa, o aborrecimento ou a ansiedade podem levá-lo a brincar com as fezes e a ingeri-las. Por outro lado, se ele passa muito tempo fechado num local exíguo, sentirá a necessidade de "limpar" o seu espaço. Assegure-se que o cão tem bastante espaço, que pode fazer as necessidades longe do ninho, e que tem brinquedos estimulantes para se entreter durante o dia.
Se tem a prática de se aborrecer quando chega a casa e tem um presentinho no chão, o mais provável é que o seu cão comece a esconder "as provas do crime" ingerindo-as. Nunca repreenda o seu cão se ele já tiver feito o "serviço" e não limpe as fezes à frente dele para evitar comportamentos de imitação.
Se apanhar o seu cão a ingerir fezes, faça uma gestão serena da situação. Ele pode estar a comer as fezes apenas para chamar à atenção, uma vez que obtém uma reação sua, ainda que negativa. Ofereça-lhe um brinquedo ou desafie-o para uma brincadeira. Não é fácil manter a calma, mas deverá fazer um esforço nesse sentido.
Algumas sugestões para evitar a ingestão de fezes
Partindo do princípio que o seu cão não apresenta qualquer problema de saúde, para evitar ou contrariar a coprofagia:
  • invista numa ração de qualidade;
  • assegure-se de que disponibiliza ao seu cão a quantidade de ração adaptada ao seu peso/idade;
  • defina claramente os horários das refeições e dos passeios;
  • não deixe comida sempre disponível;
  • assegure-se de que o cão tem bastante espaço e pode fazer as necessidades longe do ninho, da comida e da água;
  • nunca repreenda o seu cão por ter feito as suas necessidades (corrija-o, sem agressão, no momento em que ele se prepara para fazer, levando-o ao local adequado);
  • limpe diariamente o local onde o cão faz as necessidades;
  • para limpar o local, coloque o cão numa outra divisão, de forma a que ele não o/a veja a recolher as fezes;
  • se possível, recolha imediatamente as fezes sem grande alarido;
  • passeie o seu cão sempre de trela e não se distraia com o telemóvel!;
  • não deixe o seu cão sozinho por longos períodos de tempo;
  • garanta exercício físico diário ao seu cão;
  • estimule intelectualmente o seu cão com exercícios de busca e dispensadores de comida;
À exceção de situações de saúde ou deficiente nutrição, a generalidade dos casos de coprofagia deve-se a ansiedade, stress e aborrecimento dos nossos companheiros. A intervenção mais eficaz nestes casos, para além das práticas de limpeza, é, sem dúvida, o estímulo físico e mental do seu cão, que deverá fazer diariamente através de treinos. Verá que, implementadas estas medidas, aos poucos o seu cão vai desinteressar-se do cocó!