Como separar dois cães em luta


Um dos maiores pesadelos de qualquer tutor é ver o seu cão atacado por um outro durante um passeio.

Como separar dois cães em luta

Não é raro vermos cães a passear sem trela que facilmente podem entrar em conflito com o nosso, que está preso pela trela e, por isso, limitado nos seus movimentos e na possibilidade de fuga.


Sempre que seja imprescindível separar dois cães em luta devemos fazê-lo de uma forma absolutamente segura, quer para nós quer para ambos os cães.


Usamos o termos "imprescindível", porque muitas vezes o conflito é apenas momentâneo, resolvendo-se quase instantaneamente. Contudo, a ansiedade do dono pode levá-lo a interferir (e sair magoado) em algo que, em condições normais, acabaria em alguns segundos.


Assim, perante um conflito entre dois cães, deve:
1 - Manter a calma
2 - Tentar perceber rapidamente se é algo de pontual ou se é um conflito com previsão de duração
3- Identificar o cão mais agressivo (aquele que perpetua o conflito)


Estes momentos são fundamentais para que possa iniciar a separação de uma forma absolutamente segura. Mas antes de mais, o que nunca deve fazer:
- colocar-se entre os cães
- usar as mãos para os separar
- bater nos cães (mesmo que seja com um pau para manter a distância)
- atirar água aos cães

- gritar e agitar os braços à frente dos cães


Deve compreender que um cão em conflito está absolutamente focado no elemento de agressão, pelo que provavelmente ficará indiferente a pancadas com um pau ou outro objeto. Existe inclusive grandes probabilidades de redirecionar a agressão para si, mesmo que seja o dono, pelo que estas nunca serão soluções seguras para separar dois cães.


Existem 3 abordagens com eficácia/níveis de segurança distintos:


Apertar a coleira de um dos cães
Uma vez identificado o cão mais agressivo, poderá agarrar na coleira e torcer ligeiramente para que, com a limitação de ar, o cão reduza a agressão.


Esta abordagem, apesar de eficaz, é perigosa para pessoas menos experientes. Primeiro, nem todos os cães têm coleira (alguns têm peitorais); segundo, implica uma proximidade que, se não aplicada bem a técnica e no timing certo, permitirá ao cão atacar-nos; terceiro, podemos não ter força suficiente para segurar o cão; por último, podemos não saber dosear a força e causar dano ao cão.


Fazer um ruído estridente
Esta técnica costuma ser muito eficaz, uma vez que, pela distração que provoca o som, o cão desfoca-se do seu objeto de agressão. Quando se fala em "estridente" é mesmo estridente: idealmente tachos e panelas a bater muito alto, uma buzina das usadas pelas claques de futebol, etc. O problema é que não passeamos o nosso cão com um trem de cozinha atrás e estas situações de conflito, felizmente, não são assim tão comuns.


Uma forma de ter um elemento ruidoso sempre à mão é colocar moedas ou berlindes numa lata de refrigerante vazia que levamos connosco durante os passeios. Em caso de conflito, bastará abanar energicamente a lata.


Deverá, contudo, ter presente que o som poderá não ser suficiente para terminar o conflito.


Agarrar o cão pelas patas traseiras
Esta é, sem dúvida, a técnica mais segura, para nós e para os cães, para acabar com um conflito, mas deve ser aplicada sempre por duas pessoas.


Uma vez identificado o cão mais agressivo, aproxime-se, com cuidado, por trás. Enquanto o cão está completamente focado no elemento de agressão, agarre as patas traseiras e levante, obrigando-o a fazer um "carrinho-de-mão". A força motriz dos cães vem essencialmente das patas traseiras, pelo que ele imediatamente cessará a agressão e, pela postura em que se encontra, não conseguirá direcioná-la para si.


Qualquer que seja o porte e a força do cão, é muito fácil mantê-lo nesta posição. Contudo, é muito importante que este cão seja o mais agressivo, caso contrário estará a deixá-lo vulnerável aos ataques do outro cão. Assegure-se que o cão não está a ferrar o outro e desloque-se para trás de forma a cansá-lo um pouco.


Peça a outra pessoa que afaste o outro cão (bastante, inclusive da linha de visão) e deixe o cão agressivo acalmar na posição de "carrinho-de-mão". (Caso seja necessário, esta técnica deverá ser aplicada simultaneamente aos dois cães.) Para sua segurança, mesmo que o cão esteja calmo, amarre a trela a um poste antes de o largar e afastar-se.


Mas não se esqueça: a melhor forma de resolver um conflito entre cães é evitá-lo. Ande sempre com o seu cão pela trela e aprenda a ler os sinais de desconforto e/ou stress que os nossos amigos de quatro patas transmitem.



Voltar

© Dogs in class. Todos os direitos reservados